quarta-feira, 11 de setembro de 2013

AS CORES E OS POETAS

 
 
 
As cores do céu  ( fotos: elaine borges)

A Casa das palavras (1)

Na casa das palavras, sonhou Helena Villagra, chegavam os poetas. As palavras, guardadas em velhos frascos de cristal, esperavam pelos poetas e se ofereciam, loucas de vontade de ser escolhidas: elas rogavam aos poetas que as olhasse, as cheirassem, as tocassem, as provassem. Os poetas abriam os frascos, provavam palavras com os dedos e então lambiam os lábios ou fechavam a cara. Os poetas andavam em busca de palavras que não conheciam, e também buscavam palavras que conheciam e tinham perdido.
Na casa das palavras havia uma mesa das cores. Em grandes travessas as cores eram oferecidas e cada poeta se servia da cor que estava precisando; amarelo-limão ou amarelo-sol, azul do mar ou de fumaça, vermelho-lacre, vermelho-sangue, vermelho-vinho...


(1)    Eduardo Galeano  - O Livro dos Abraços – LPM Editora.

3 comentários:

  1. Lindo! Coloquei no meu Face com os devidos créditos, claro.
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Caríssima, que bom que Vc. retornou! Achei que tivesse viajado. Seus textos, como sp, de primeira! Gostei! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joana, teus elogios me deixam envaidecida. Obrigada. Bjs

      Excluir