quinta-feira, 12 de março de 2009

UMA NESGA AZUL DO CÉU

Foto: elaine borges


- Olha, a vida é uma cesta em que, quanto mais se põe, mais se deseja colocar. Estamos sempre partindo do zero. Hoje pinto um quadro ou termino de ler um livro. Fico satisfeito. Mas, amanhã, me pergunto: e agora?
Ferreira Gullar, um dos mais importantes poetas do país, responde assim a pergunta se, próximo a completar 80 anos (em 2010), era um homem realizado. A pergunta foi feita por Armando Antenore, em entrevista publicada na revista Bravo deste mês. E nela, há este belo poema inédito a sair no seu próximo livro, "Em Alguma Parte Alguma":

UM POUCO ANTES


Quando já não for possível encontrar-me
em nenhum ponto da cidade
ou do planeta


pensa


ao veres no horizonte
sobre o mar de Copacabana
uma nesga azul do céu


que resta alguma coisa de mim
por aqui

Não te custará nada crer
que sorrio ainda naquela nesga azul celeste
pouco antes de dissipar-se para sempre.


2 comentários:

  1. Lindo!!!!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  2. também estou lendo essa Bravo!.
    e doida de vontade de ler essas novas poesias dele.

    beijos.

    ResponderExcluir